Vantagens De Ter Um Domínio Respectivo Para o Teu Blog


Como esta de Numerosas Novas De Ultraviolence


Ou sai o papel de parede ou saio eu, teria dito o escritor Oscar Wilde, ao se mostrar em um hotel de Paris. Mesmo desta maneira, quanta gente não carrega a moradia nas costas, como um fardo que vão arrastando entre choramingas e lamúrias na estradinha sem graça da vida. E quantas outras abrem mão da promessa de expressar-se através do local onde vivem e simplesmente delegam o cenário, condenando-se a viver em casas com almas emprestadas, em geral, do decorador mais fashion ou do arquiteto da moda. Em conclusão, a imagem de moradia está impressa pela nossa imaginação, faz quota dos nossos mitos mais antigos.


Casa: um espaço para onde regressar, um refúgio, um abrigo…e que seja aconchegante e nos proteja dos tumultos da existência. Por isso, aproveite esse clima de ano-novo, vida nova pra construir um canto seu, com a tua cara, onde você possa “guardar os amigos, os livros e os discos, e nada mais”…assim, feito na música!


Tem coisa pior do que em pleno calorão de janeiro tentar se refestelar naquele sofá de veludo que é uma delícia no inverno? Ou mergulhar com o celular para horas de papo com a melhor amiga na cama elegante, no entanto coberta com aquela manta de lã favorita? As casas são vivas, orgânicas, até.


OK, excessos à porção, que tal deixar entrar o ar da estação em sua residência. No verão, capas de algodão nos sofás, colchas de piquet, almofadas coloridas, flores da estação. Tenho uma amiga que é mestra nessa arte tão difícil: anexar instrumentos de forma a que eles formem um conjunto harmonioso, onde os olhos pousem, feito pássaros, um minuto e se encantem.

  • SIM - o Canadá tem de (Diversos) imigrantes
  • Meu Dinheiro zoom_out_map
  • Planos a partir de R$ 3,trinta e três
  • Promoções sazonais/em datas especiais
  • Luis Felipe Brucate Ramalho comentou: 12/08/doze ás 13:19

O truque é incorporar equipamentos com conteúdo ou cor ou maneira similar ao invés de deixá-los espalhados nesse lugar e ali. Os japoneses são mestres em estudar as promessas dos vazios. No entanto, minimalismo sem alma é puro tédio. O segredo do despojamento é pura arte e muita experimentação. Vá com calma, experimente com fatos.


Siga as dicas da Noura e ouse na escolha das cores, no fim de contas, o pior que podes suceder é você ter que adquirir outra lata de tinta e pintar tudo mais uma vez. Brincadeira, é claro, todavia sempre tenho a impressão de que pra um público, como nós, que vive debaixo do sol e rodeado por essa festança de cores, somos tão comedidos! De todo modo, mesmo se tua opção prosseguir sendo os beges e os brancos, liberte teu espírito Frida Kahlo e ouse brincar com as cores nos móveis e acessórios, almofadas, flores, penduricalhos e tapetes! Os objetos afetam nosso estado de espírito e interferem em nosso humor. Mesmo sabendo disso, a gente acaba guardando coisas que não nos dizem nada, não realizam nenhum significado, como se pertencessem a outra pessoa.


Guardamos até instrumentos que nos trazem más recordações, simplesmente porque não conseguimos nos ver de perto livres deles….aproveite o ano-novo pra alterar isso. Dê uma voltinha pela sua moradia tirando todos os instrumentos, fotos e enfeites que por alguma explicação - cada causa - você não gosta. Não precisa ser racional, ao contrário, tente ouvir o que tua intuição diz. Arrume tudo em uma mala e deixe remoto da tua visão por um tempo. Depois deste tempo, aí sim você pode optar o que vai preservar e o que vai doar pra alguém….e, acredite, em geral a gente acaba doando mesmo!